PROGRESSO

Aspirar Sem Ficar Obcecado

por Ramesh Bijlani

Você progredirá quando for decidido que chegou a hora de progredir e não porque você deseja.

 – A Mãe (“A Grande Aventura”, pág. 338)

O progresso é um daqueles tópicos aparentemente simples que parecem estar fora de debate. Quem pode questionar o valor de um processo que nos leva de onde estamos agora para algo melhor, algo mais elevado, algo mais desejável? É isso que todos querem, embora em esferas diferentes. Um professor quer ser diretor, um major quer ser coronel, alguém que mora em uma casa de dois quartos sonha com uma casa de quatro quartos, um gerente pode mudar de emprego para adicionar zeros à sua renda e ao seu saldo bancário, e assim por diante. Quem sabe que a vida nivela toda a gente compreende a futilidade final de correr atrás, de perseguir caminhos para o progresso. Apesar da compreensão, a pessoa pode trilhar esses caminhos mas possuir o conhecimento de que, no longo prazo, o progresso material não significaria nada; isto acrescenta um senso de proporção à busca e introduz a moral nos meios adotados para ganhar velocidade ou lidar com obstáculos. O progresso material insensato e sem escrúpulos arruinou os indivíduos; O espetacular mas míope progresso material perseguido, apreciado e alcançado pela raça humana durante os últimos séculos ameaça levar a vida no planeta Terra à extinção.

Há outro tipo de progresso, porém, que é isento de riscos. O progresso que acrescenta alegria e propósito à vida é o progresso espiritual. O progresso espiritual significa crescimento da consciência. Como seres humanos, nascemos num certo nível de consciência. Consciência basicamente significa capacidade de registrar ou perceber conscientemente. A maioria de nós nasce com uma consciência que permite nos percebermos como indivíduos distintos, com uma personalidade característica. Como indivíduos, nos identificamos com o nosso corpo e mente, mas também temos uma vaga consciência de uma Realidade mais profunda, mais ampla e mais elevada do que o complexo corpo-mente. Também percebemos vagamente que esta Realidade mais profunda está dentro de nós e também tem uma presença universal. Passar da consciência obscura para a consciência vívida dessa Realidade é um movimento em direção a uma consciência melhor, uma consciência mais completa. Visto que a consciência é a capacidade de perceber conscientemente, a expansão da percepção consciente é o crescimento da consciência. O crescimento da consciência é um progresso espiritual, porque nos torna conscientes da presença universal e onipresente do Espírito do Divino.

Por que alguém deveria estar interessado no progresso espiritual? Por mais de um motivo. Primeiro, como seres humanos, nascemos com o desejo de progresso espiritual. Em segundo lugar, apenas os seres humanos parecem ter a capacidade para o progresso espiritual. Finalmente, trabalhar para o progresso espiritual é a única maneira de conseguir o que todos procuram, mas não sabem onde encontrar. Paradoxalmente, a máxima da espiritualidade é não procurar nada, nem mesmo o progresso espiritual. Tudo, incluindo o progresso espiritual, é um subproduto e não algo a ser perseguido. Em vez de procurar, o que se precisa fazer é ver através da ilusão da separação dos outros. Fazer isso leva a um sentimento de unidade com os outros. Um sentimento de unidade leva ao amor. Cultivar o amor leva à intimidade. O amor e a intimidade se expressam ao dar o que se tem a quem precisa. Os subprodutos de dar são alegria, paz, harmonia, saúde, realização e, claro, progresso espiritual. O que mais alguém pode querer? Mas quantos procuram o que desejam no lugar certo? Em vez disso, a maioria das pessoas o procura no progresso material e fica decepcionada. Elas podem começar a procurá-lo na meditação, e mais uma vez, estarão decepcionadas. Então a procura é por alguém que os ensine exatamente como meditar. O que devemos compreender é que a meditação é boa, mas não é necessária nem suficiente para o progresso espiritual. A maneira mais simples, segura e certa de progredir espiritualmente é através do trabalho, um trabalho altruísta inspirado pelo amor. Por isso a Mãe nos aconselhou a “dedicar parte do nosso tempo todos os dias a alguma ação impessoal; todos os dias, devemos fazer algo útil para os outros.” Se fizermos a nossa parte, o Divino cuidará do resto, incluindo o nosso progresso espiritual. A Mãe nos garantiu que tudo o que se espera de nós é que sejamos simples, felizes e tranquilos; fazer o nosso trabalho da melhor maneira possível; e permanecer aberto a Ela. Permanecer aberto a Ela significa não permitir que aflições mentais, como dúvidas sobre o progresso e ansiedade pelo progresso, bloqueiem o trabalho que Sua Graça está fazendo em nós por meio de Seu Amor Infinito por nós.

Embora aspirar ao progresso espiritual seja desejável, e existam maneiras de monitorá-lo, a ansiedade e a preocupação com o progresso não são desejáveis nem úteis. Numa jornada que se prolonga ao longo da vida, e vida após vida, a mudança perceptível pode nem sempre ser visível de um día para outro. Além disso, embora possa haver dias em que alguém tenha uma “experiência de mudança de vida” e tenha uma sensação de progresso notável, também pode haver dias de declínio, quando, em vez de ir mais longe, alguém tenha feito algo indicativo de uma consciência inadequadamente baixa. Mas a pessoa deve ser capaz de sentir uma mudança global num período de cinco ou dez anos. Olhando para trás, se a pessoa sente sinceramente que agora é mais amorosa, tem maior equanimidade, consegue lidar melhor com a incerteza e tem menos medo da morte do que há cinco ou dez anos, ela pode concluir que fez algum progresso espiritual. Mas talvez o melhor indicador seja que quanto mais progresso uma pessoa faz, menos ela pensa nisso! A pessoa simplesmente gosta de servir ao Divino. Como a Mãe escreveu uma vez ao fundador do Sri Aurobindo Ashram – Delhi Branch: “Nenhuma alegria pode ser maior do que servir ao Divino”. Aquele que experimentou essa alegria não tem pressa em progredir. Ele está ansioso para servir ao Divino por mil vidas sem pensar em quanto progresso ele fez. Em suma, devemos aspirar ao progresso espiritual, mas não ficar obcecados com ele. Como num jogo, se jogarmos bem, o placar cuida de si mesmo.

Traduzido por NB Traduções.

(Ensaios relacionados: Consciência, Vida, Amor, Dinheiro, Espiritualidade, Yoga)