GRATIDÃO

Obrigado: A Melhor Oração

por Ramesh Bijlani

Seja grato por todas as dificuldades, elas são o caminho mais curto para o Divino.

A Mãe

Gratidão é uma atitude de agradecimento. Há muito pelo que cada um de nós deve ser grato. Além de pais e professores, que fizeram muito por nós, há tantos outros que nos ajudaram em situações de desamparo ou derramaram bondade imerecida sobre nós ao longo de nossas vidas. Acima de tudo, devemos ser gratos a Deus por trazer tantos instrumentos úteis em nossas vidas e por Seu infinito amor, misericórdia e perdão. Uma vez perguntaram a Dada Vaswani se contar ovelhas era uma boa maneira de adormecer. Ele respondeu que contar nossas bênçãos seria melhor.

A gratidão incorpora várias outras virtudes. Uma pessoa com um ego gigantesco não pode ser grata. Ela é como um gato de estimação, que pensa que o dono é legal com ele porque ele (o gato) é muito bom. Em contraste, um cachorro de estimação sempre agradece porque pensa que o dono é bom com ele porque ele (o dono) é muito bom. Uma pessoa cheia de desejos e ambições estará sempre reclamando por mais, em vez de agradecer pelo que tem. Como Om Swami disse: “Gratidão é valorizar o que você tem e ambição é valorizar o que você pode ou não ter no futuro. Se você afogar a voz da gratidão nos rugidos de suas ambições, tudo o que restará será muito barulho e nenhuma música.” A gratidão precisa de coragem porque é uma admissão indireta de nossa dependência de outra pessoa para algo importante. A gratidão é um indicador de generosidade, porque alguém que é miserável mesmo com um «obrigado» não pode ser generoso com mais nada. A gratidão é uma expressão de amor, como todas as formas de doação. A gratidão requer sinceridade e adesão à verdade. Na ausência de sinceridade, é fácil assumir o crédito por tudo o que possuímos e esquecer Aquele que nos deu isso em primeiro lugar. É por isso que a melhor oração também é provavelmente a mais curta: “Obrigado, Deus”, uma oração que diz tudo em poucas palavras.

Devemos ser gratos a «A» que nos dá algo. Mas «A» pode nos dar isso apenas porque «B» deu a «A». E foi «C» quem deu para «B», e assim por diante. O Doador Definitivo é Aquele que tem tudo. Portanto, embora devamos agradecer a «A», não devemos esquecer o Doador Supremo que realmente deu tudo o que alguém já recebeu. A Mãe chegou a dizer que “nossa gratidão deve ir para o Divino e que, quanto aos seres humanos, o que é necessário é uma atitude de boa vontade, compreensão e ajuda mútua”.

Devemos ser gratos pelos elogios, porque, dadas as nossas fraquezas humanas, o apreço nos encoraja a continuar fazendo um bom trabalho. Devemos ser ainda mais gratos pelas críticas porque elas nos dizem as fraquezas que temos que superar. Assim, aqueles que nos criticam nos dão lições de casa muito úteis e edificantes. Aqueles que são humildes conosco colocam nossa humildade à prova. Aqueles que nos insultam colocam nossa equanimidade à prova. Na ausência de oportunidades, a humildade e a equanimidade permanecem ideais ociosos, que podemos assumir erroneamente, que temos em abundância. O que somos pode ser bem diferente do que pensamos que somos.

Devemos ser gratos também quando damos algo. Sem alguém para receber, como podemos ter a felicidade de dar? Por exemplo, os professores dão conhecimento aos seus alunos, pelo que os alunos devem, é claro, ser gratos. Mas os professores também devem ser gratos aos alunos que lhes dão a oportunidade de transmitir conhecimento. Da mesma forma, médicos e enfermeiras devem ser gratos a seus pacientes que lhes dão a oportunidade de cuidar. E os pais devem ser gratos aos filhos que lhes dão a oportunidade de dar o que têm. Em última análise, o verdadeiro propósito da vida é cumprido através do amor. O amor se expressa dando o que temos a quem precisa. Aquele que precisa do que podemos dar está nos dando a oportunidade de cumprir o propósito de nossas vidas.

Gratidão e amor são primos próximos. Como o amor, a gratidão é uma atitude, uma disposição de espírito ou uma “vibração”, como a Mãe a chama. Não tem que ir de uma pessoa para outra. É a mente humana que cria a ilusão da necessidade de “dois polos”. “Quando você entra nessa vibração [de gratidão] em sua pureza, imediatamente percebe que ela tem a mesma qualidade da vibração do amor”, diz a Mãe.

A Mãe narra a história de uma grande festa acontecendo em um palácio celestial para a qual todas as virtudes foram convidadas. Muitas delas apareceram, vestidas com suas vestes resplandecentes. Por último, veio uma garota tímida com um vestido branco muito simples, que foi deixada entrar pelos guardas com bastante relutância. Quando ela entrou na festa, as altas e poderosas virtudes estavam ocupadas conversando umas com as outras, e ninguém parecia dar atenção a ela. Finalmente, a prudência deu um passo à frente, disse a ela que ninguém na festa parecia conhecê-la e perguntou quem ela era. A recém-chegada respondeu: “Ai! Não me surpreende que pareça “um estranho” neste palácio, pois raramente sou convidada para qualquer lugar. Meu nome é Gratidão.”

Não há nada que possa nos dar uma alegria igual à da gratidão.

A Mãe

A gratidão é um estado espiritual elevado e receptivo.

Julia Cameron

Traduzido por NB Traduções.

(Ensaios relacionados: Humildade, Amor, Sinceridade)